SARDOAL Partido Socialista

Informação relativa à actividade do Partido Socialista no Sardoal e dos seus eleitos autárquicos. Autárquicas 2013- Sardoal a caminho da MUDANÇA

08 junho, 2007

Ainda a Conferência organizada pelo PS no Sardoal no passado dia 26 de Maio










Gostaria de realçar a relevânçia política de, pela primeira vez em 33 anos de Democracia,termos tido o privilégio de ter, entre nós , no Centro Cultural Gil Vicente, no passado dia 26 de Maio, dois destacados Membros do Governo, Eduardo Cabrita e Fernando Medina, a debater com todos os que estiveram presentes, dois dos temas mais importantes para o futuro das Autarquias e em especial para o Futuro da nossa Autarquia- o Sardoal-.

O tema da nova "Lei das Finanças Locais" e sua importância no reequílibrio orçamental das autarquias tratado pelo Secretário de Estado Eduardo Cabrita abriu caminhos e esclareceu dúvidas sobre as nefastas consequências dum desequílibrio Orçamental nas Câmaras em que as despesas são, cada vez mais, superiores às receitas e as receitas em vez de aumentarem à custa de novos serviços prestados aos munícipes, limitam-se a viver à custa das transferências do Estado Central, criando um défice e um endividamento cada vez maior.

Vejamos o nosso caso concreto:

O Município do Sardoal tem um Orçamento real de aproximadamente de 4,5 M Euros, muito embora tenha feito aprovar um Orçamento de 9,6M Euros.

O Montante de transferências em 2007 da Administração Central para o Município é de 3,3M Euros;

E a previsão de endividamento liquido em 31/12/2006 é no Valor aproximado de 8.7M Euros;

Se somarmos a este Valor o valor da Dívida existente a fornecedores de aproximadamente 1M Euros, verificamos que a saúde financeira da Autarquia está totalmente debilitada e sem perspectivas de melhorias a curto Prazo. O Endividamento real é mais do dobro do orçamento real, mas se tal endividamento correspondesse a Obra Feita em beneficio das gerações vindouras, ainda se poderia questionar a sua utilidade.

Mas como é sabido, e a análise das Contas relativas a 2006 provaram, a maior parte das despesas correspondem a despesas de funcionamento, designadamente com pessoal, sendo nulas ou de reduzido impacto as despesas com investimento.

Daí que neste quadro de difícil sustentibilidade económica , a importância do factor externo, os sinais políticos de esperança que daí advêm, são determinantes na perspectiva de voltar a colocar o Sardoal no mapa da cidadania e do desenvolvimento.

A presença de dezenas de Sardoalenses dos mais variados quadrantes políticos, empresários e dirigentes associativos dão-nos a garantia de que, internamente, tambem se começa a vislumbrar esperança na mudança de rumo político no Sardoal.

O sinal político de apoio e esperança, por parte dos Dirigentes Nacionais e dos Dirigentes Distritais do Partido Socialista, bem como dos nossos Deputados, de que os Sardoalenses, apesar do desgoverno do PSD nos últimos 13 anos, não estão sós é extremamente estimulante para todos os Sardoalenses.

Mais iniciativas, com esta qualidade, irão acontecer no Sardoal e servirão também para credibilizar a oposição do PS/Sardoal como alternativa ganhadora nas próximas eleições autárquicas.

Trabalharemos todos os dias para merecer a confiança dos Sardoalenses e com a ajuda de todos, em 2009 cá estaremos, com o nosso Projecto de Desenvolvimento, de Inovação, de Apoio aos Jovens e aos Idosos, com a convicção profunda de que conseguiremos colocar o Sardoal no MAPA DA CIDADANIA E DO DESENVOLVIMENTO.

O Presidente do PS/Sardoal

Fernando Vasco
Veja as imagens do encerramento:

video

Viagem de Estudo- Sabia que...

Sabia que …


Os custos directos e indirectos, assumidos pelo Município do Sardoal, com a realização da Viagem de Estudo (?) no ano de 2004, foram de 41.123€ (Primeiros Socorros 99€; Mão-de-Obra 10.503€; Ajudas de Custo 4.182€; Viaturas 18.112€; Telefone 757€; Outros Custos 7.478€)?

Os custos directos e indirectos, assumidos pelo Município do Sardoal, com a realização da Viagem de Estudo (?) no ano de 2005, foram de 39.805€ (Materiais 357€; Mão-de-Obra 15.055€; Ajudas de Custo 7.852€; Viaturas 16.542€)?

Os custos directos e indirectos, assumidos pelo Município do Sardoal, com a realização da Viagem de Estudo (?) no ano de 2006, foram de 31.451€ (Materiais 114€; Serviços 10.036€; Ajudas de Custo 5.822€; Viaturas 15.479€)? (FM)

Conheça a posição dos Vereadores Fernando Morais e Pedro Duque sobre a Visita de Estudo que a CMS irá promover de 20 a 29 de Julho


Posição dos Vereadores Fernando Morais e Pedro Duque apresentada durante a reunião do Executivo Municipal no dia 21 de Março de 2007, sobre a Visita de Estudo que a Câmara do Sardoal irá promover de 20 a 29 de Julho.

“ … Sabendo-se que os propósitos da visita ao Parlamento Europeu se inserem no Programa denominado de Visita de Estudo, que o Município anualmente promove a alguns estudantes do Concelho, e que de Visita de Estudo pouco tem;

Sabendo-se que os estudantes que nela participam só o fazem porque querem e os seus pais es- tão dispostos a suportar as despesas que o Município não assume, independentemente do seu sucesso ou insucesso escolar. Já aconteceu que aluno houve que não participou em viagens anteriores apenas porque os seus pais não possuíam disponibilidade financeira que pudesse suportar tais despesas;

Sabendo-se que o Município atravessa uma grave crise financeira que o impossibilita de fazer face a algumas necessidades e projectos urgentes, mas também o impossibilita de regularizar, de uma forma mais célere e responsável, dívidas pendentes. A este propósito registe-se o facto de, ainda há poucos meses, o Município ter sido obrigado a contrair empréstimos a Médio e Longo Prazo para pagar dívidas pendentes e cujo valor total ultrapassou o Meio Milhão de Euros;

Sabendo-se que as despesas assumidas pelo Município com estas Viagens, nos últimos anos, têm superado os 30.000 Euros cada, o que a acontecer uma nova viagem este ano implicará que o Município irá ver agravada naquele valor a possibilidade de não poder satisfazer pagamentos relativos a determinadas despesas a assumir ou já assumidas, a não ser que não as realize ou que protele o seu pagamento;

Sabendo-se que para se poder patrocinar aos jovens estudantes do nosso Concelho, uma Visita de Estudo que lhes possam proporcionar novas experiências, que os programas curriculares das suas escolas não tratam, não é necessário que a mesma tenha como destino, obrigatoriamente, o estrangeiro.

Sabendo-se que quando é a própria Escola a promover visitas de estudo aos alunos e para o efeito solicita ao Município a cedência de um autocarro, nem sempre a resposta é a esperada, levando os pais dos alunos a terem de suportar os custos do aluguer de um autocarro.

Os Vereadores Fernando Morais e Pedro Duque votam contra a realização da Viagem ao Parlamento Europeu porque a mesma, a acontecer, agravará, ainda mais, as dificuldades financeiras que o Município atravessa e porque as mais valias que esta viagem poderá trazer residirão mais nos dividendos económicos de alguns acompanhantes (a quem o Município pagará ajudas de custo significativas) e nos dividendos políticos dos seus promotores (a Comunicação Social encarregar-se-á de “cantar hossanas” sobre a “visão” dos promotores de tal viagem), do que propriamente nos legados experimentais que a Viagem possa trazer ao futuro dos nossos jovens estudantes…” (FM e PD)